top of page
  • Foto do escritorDra. Thaísa Bramusse

Reposição hormonal na menopausa: quais os sintomas ela controla?


Diariamente, eu recebo no consultório mulheres que sofrem com sintomas da menopausa. Muitas delas ainda estão no climatério, ou seja, nos anos que antecedem o fim da produção hormonal pelos ovários, o que vai caracterizar de fato a menopausa.


Quando detectamos declínio hormonal no climatério, podemos avaliar a indicação da reposição hormonal, mesmo antes da transição menopausal. Mas por quê já vale a pena começar a reposição hormonal nessa fase?


Porque podemos agir com antecedência, amenizando os sintomas que começam a surgir e, principalmente, controlando o risco de doenças associadas ao declínio hormonal. Quanto mais bem preparado o seu corpo estiver, mais suave será essa transição.


E o que a reposição hormonal na menopausa pode prevenir e controlar? Vamos entender a seguir!


Quando a menopausa chega

A menopausa é o fim do ciclo reprodutivo feminino. A chegada é confirmada pela interrupção da menstruação por, pelo menos, 12 meses.


Em média, ela chega próximo aos 51 anos, mas pode acontecer a partir dos 30 anos (menopausa precoce). Sua principal característica é o declínio e o fim da produção de estrogênio, progesterona e testosterona.


Sintomas do climatério e da menopausa


Como mencionei, os sintomas começam a surgir ainda no climatério, ou seja, nos anos que antecedem a menopausa. Algumas mulheres podem ficar até 10 anos nesse período, por exemplo.


Os sintomas mais comuns são:

  • Fogachos (ondas de calor);

  • Sudorese noturna;

  • Falhas na memória e dificuldade de concentração;

  • Insônia;

  • Dores de cabeça;

  • Fadiga e perda da vitalidade;

  • Baixa libido e perda da lubrificação vaginal;

  • Aumento da gordura abdominal;

  • Perda de massa muscular;

  • Oscilações de humor;

  • Melancolia, ansiedade e depressão;

  • Piora da qualidade da pele, dos cabelos e unhas.


Cada mulher precisa ser avaliada individualmente, pois os sintomas podem variar, inclusive em intensidade.


Para se ter uma ideia, o estrogênio participa de cerca de 400 funções no organismo. A queda desse hormônio impacta em vários aspectos, que podem ir além desses sintomas que listei acima.


Doenças da menopausa

Se não bastassem os sintomas da menopausa, que pioram muito a qualidade de vida da mulher, há ainda alterações importantes no organismo, que podem levar a doenças.


O declínio hormonal está associado a um risco aumentado de:

  • Osteopenia e Osteoporose (perda de densidade óssea e maior risco de fraturas);

  • Sarcopenia (perda de massa muscular, que compromete a mobilidade, a independência e aumenta as dores crônicas);

  • Doenças cardiovasculares e dislipidemia;

  • Obesidade;

  • Depressão;

  • Doença de Alzheimer;

  • Diabetes.

Como é a reposição hormonal na menopausa

Cada mulher deve ser avaliada de acordo com os sintomas, o risco aumentado de doenças, o histórico médico e possíveis contraindicações. Esses fatores determinam se a reposição hormonal é indicada, os tipos de hormônios a serem usados e a dosagem.


Também é avaliada a melhor via de reposição para cada mulher: oral, vaginal, transdérmica ou por implantes. O uso de hormônios isomoleculares (estrutura idêntica àqueles produzidos pelo corpo) aumentam a segurança e a eficácia do tratamento.


Implantes hormonais

O implante hormonal é um método individualizado e mais fisiológico, pois garante um fluxo hormonal gradual e contínuo, evitando a "montanha-russa emocional", típica de outras vias (oral, vaginal e transdérmica).


Além disso, a praticidade também é uma vantagem, pois elimina a necessidade do uso diário de comprimidos, cremes etc. O implante absorvível tem duração média de 6 meses.


Ele permite associar os hormônios mais indicados para a mulher, naquele momento, na dosagem específica.


Os benefícios da reposição hormonal

Além de controlar o risco de doenças típicas da menopausa, há uma transformação na vida da mulher, que percebe a melhora nítida:


  • Nas ondas de calor e na sudorese noturna;

  • Na saúde cognitiva;

  • No humor, na melancolia e na ansiedade;

  • Na redução da gordura abdominal (e visceral);

  • Na manutenção da massa muscular;

  • No aumento da energia e vitalidade;

  • No aumento da libido;

  • Na melhora do sono;

  • Na melhora da saúde da pele, dos cabelos e unhas.


Se você já sente alguns dos sintomas do climatério e da menopausa, recomendo que faça uma avaliação médica. A reposição hormonal pode ser uma alternativa de tratamento para você.


Sua saúde e sua qualidade de vida vêm sempre em primeiro lugar!


Conte comigo!

Até a próxima!

Dra. Thaísa Bramusse


Comments


bottom of page