top of page
  • Foto do escritorDra. Thaísa Bramusse

Desequilíbrio hormonal: 10 coisas que nunca te contaram


De maneira simples, podemos dizer que os hormônios são substâncias que funcionam como mensageiros no nosso organismo, indicando aos órgãos as funções que devem executar.


Quando há um desequilíbrio hormonal, os sinais logo aparecem e a saúde e o bem-estar entram em risco.


As dúvidas são frequentes no consultório. Por isso, listei questões sobre a disfunção hormonal que muitos pacientes me perguntam a respeito. Confira a seguir se você desconhece alguma delas!


1 - Desequilíbrio hormonal pode acontecer em todas as idades

A maioria das pessoas associa o desequilíbrio hormonal à menopausa ou à andropausa. De fato, nessa fase da vida da mulher e do homem há um declínio hormonal natural, que pode afetar a qualidade de vida e aumentar o risco de algumas doenças.


Mas a disfunção hormonal pode ocorrer em todas as idades. Isso porque, por mais que os fatores genéticos sejam os principais causadores de doenças e alterações, aspectos externos funcionam como gatilhos, que podem desencadear ou piorar o problema. Alguns exemplos:


  • Maus hábitos alimentares, obesidade e inflamação corporal

  • Estresse descontrolado

  • Sono de má qualidade

  • Consumo de bebidas alcoólicas e fumo

  • Uso de anticoncepcionais hormonais

  • Uso de alguns medicamentos

  • Exposição a disruptores endócrinos


Por isso, é sempre importante avaliar o equilíbrio hormonal com seu médico de confiança, especialmente, se vivenciar sintomas que mencionarei adiante.


2 - A obesidade e o estresse favorecem a disfunção hormonal

A obesidade provoca diversas alterações metabólicas, que impactam na síntese de hormônios. Por exemplo, a resistência insulínica é uma condição comum entre pessoas com sobrepeso, e pode levar ao diabetes.


Já o estresse crônico é responsável pela liberação excessiva do hormônio cortisol, o que aumenta a glicose no sangue, eleva a pressão arterial, contribui para o ganho de peso e prejudica a imunidade, entre outras consequências.


3 - Sua alimentação pode desequilibrar seus hormônios

A alimentação baseada em comida industrializada, soja, carne vermelha e laticínios, além dos vegetais cultivados com agrotóxicos, está associada ao desequilíbrio hormonal.


Isso acontece pois são alimentos ricos em aditivos químicos, transgênicos e substâncias inflamatórias, que atuam como disruptores endócrinos.


A alimentação que ajuda a equilibrar os hormônios é aquela rica em alimentos naturais e orgânicos, além de gorduras saudáveis.


Gosto de ressaltar que hábitos alimentares pouco saudáveis prejudicam a saúde do intestino, levando à disbiose, à permeabilidade intestinal e à inflamação crônica, condições que muitas vezes são gatilhos para doenças autoimunes e desequilíbrios hormonais.


4 - O perigo dos desreguladores endócrinos

Desreguladores ou disruptores endócrinos são substâncias que não existem no organismo e, muitas vezes, se assemelham aos hormônios, sendo capazes de alterar a síntese e o equilíbrio hormonal.


Infelizmente, eles estão presentes em nosso dia a dia, sendo encontrados em plásticos, cosméticos, produtos de higiene e limpeza, utensílios domésticos, agrotóxicos, medicamentos, até no recibo do cartão de crédito…


No rótulo nos produtos, você consegue identificá-los como:

Bisfenol A (BPA), parabenos, alumínio, chumbo, mercúrio, DBP, triclosan, benzofenonas, formaldeídos…


Concordo que é difícil evitá-los completamente, mas dá para reduzir o contato,. Escolha, sempre que possível, produtos livres dessas substâncias, use luvas para manusear produtos de limpeza, evite panelas de alumínio e prefira os alimentos orgânicos.


5 - A gravidez pode causar desequilíbrios hormonais

As oscilações e picos de hormônios são naturais durante a gravidez. É seu corpo se preparando para a formação do bebê e para a manutenção da gestação.


No entanto, é essencial monitorar a tendência de elevação da glicose e de triglicérides, um fato comum durante a gestação, que pode levar ao diabetes gestacional e aumentar o risco de pré-eclâmpsia.


Essas são condições sérias, que podem colocar em risco a gestante e o bebê. A melhor forma de prevenção é evitar o ganho excessivo de peso e manter os exames pré-natais em dia.


6 - Excesso ou irregularidade menstrual são sinais de alerta

O ciclo menstrual varia de mulher para mulher, isso é normal. Na adolescência, durante os 2 primeiros anos de menstruação, bem como na fase de perimenopausa, a menstruação irregular é algo comum.


Fora desses períodos, fluxos irregulares ou muito intensos podem ser sintomas de alterações hormonais e de outras doenças ginecológicas. Eles devem ser investigados pelo seu médico de confiança.


7 - Os sintomas mais comuns de disfunções hormonais


Como são vários os hormônios que atuam no corpo, desequilíbrios podem causar sintomas distintos, mas alguns sinais de alerta devem te levar ao médico:


  • Fadiga e cansaço excessivos;

  • Falta de disposição e de energia;

  • Sono excessivo ou insônia;

  • Perda ou ganho de peso, sem motivo aparente;

  • Acúmulo de gordura abdominal;

  • Perda de massa muscular ou dificuldade em ganhar músculos;

  • Irritabilidade, ansiedade e depressão;

  • Acne, queda de cabelo e unhas fracas;

  • Baixa libido;

  • Irregularidade menstrual;

  • Infertilidade;

  • Problemas digestivos;

  • Memória fraca e dificuldade de concentração;

  • Sede ou fome excessivas;

  • Vontade frequente de urinar;

  • Frio e taquicardia.


8 - As 5 principais disfunções hormonais

Os desequilíbrios hormonais mais comuns são:


Hipotireoidismo e hipertireoidismo

São disfunções da tireoide, nas quais há declínio na produção dos hormônios tireoidianos ou aumento além do normal, respectivamente.


Diabetes Mellitus

Essa é uma doença metabólica, resultante da falta de insulina ou da incapacidade da insulina de metabolizar adequadamente a glicose no sangue.


Existem 3 tipos de diabetes:

  • Tipo 1 (até 10% dos casos)

O diabetes tipo 1 é uma doença autoimune, na qual os anticorpos atacam as células que produzem insulina.


  • Tipo 2 (até 90% dos casos)

O diabetes tipo 2 decorre da resistência insulínica ou da deficiência em sua secreção pelo pâncreas.


  • Diabetes gestacional

O diabetes gestacional ocorre pela diminuição da tolerância à glicose, podendo ou não regredir após a gestação.


Síndrome dos Ovários Policísticos

É a disfunção hormonal mais comum entre as mulheres. É caracterizada pelo excesso de testosterona e associada à resistência insulínica.


Menopausa e Andropausa

Fase em que há o declínio da produção hormonal em mulheres e homens.


Além dos sintomas que afetam a qualidade de vida, é importante monitorar a saúde cardíaca e o risco aumentado para diabetes e osteoporose.


9 - Os principais riscos do desequilíbrio hormonal

Além de prejudicar e muito a qualidade de vida, desequilíbrios hormonais podem trazer sérios problemas à saúde, como o aumento do risco de diabetes, obesidade, hipertensão, doenças autoimunes, infertilidade, depressão, entre outras doenças crônicas.


10 - Diagnóstico e tratamento para a disfunção hormonal

Os tratamentos são diversos e envolvem mudanças no estilo de vida, medicação e reposição hormonal, quando necessário. A anamnese clínica, exames laboratoriais e de imagem são indicados para o diagnóstico.


Se você tem dúvidas sobre equilíbrio hormonal ou acha que pode estar sofrendo com alguma disfunção, procure seu médico de confiança. O importante é ter um diagnóstico preciso e não deixar os sintomas se instalarem e prolongarem por muito tempo.


Conte comigo!



Comments


bottom of page