top of page
  • Foto do escritorDra. Thaísa Bramusse

Canabidiol: o que é e para que serve



Esse texto é para esclarecer o que é o Canabidiol (CBD) e por que ele está cada vez mais em evidência como alternativa terapêutica. Sei que muita gente ainda se assusta pelo fato de sua origem ser a cannabis sativa, popularmente conhecida como maconha.


Mas é importante entender a diferença! Vamos lá:


O que é o canabidiol (CBD)?

O canabidiol é um canabinoide, uma substância extraída da cannabis. Já foram identificados inúmeros tipos de canabinoides, sendo o canabidiol (CBD) e o tetrahidrocanabinol (THC) os mais conhecidos.


E esse é um ponto importante. O CBD e o THC têm uma diferença fundamental: o CDB não possui ação psicoativa, como o THC. Ele exerce efeitos farmacológicos benéficos, com aplicação anti-inflamatória, analgésica, antioxidante, ansiolítica e neuroprotetora, por exemplo.


Ou seja, aquele efeito “recreativo e psicoativo” da maconha não acontece em quem usa CBD.


Como o canabidiol (CBD) age no corpo?

Há poucas décadas, foi descoberto um sistema no organismo, denominado sistema endocanabinoide. Ele é formado por receptores canabinoides, por endocanabinoides produzidos pelo próprio corpo, enzimas metabolizantes e transportador membranar.


Os cientistas descobriram que esses receptores estão presentes principalmente nos sistemas nervoso central, gastrointestinal e imunológico. E o desequilíbrio desses receptores pode estar associado a várias patologias.



Receptores canabinoides

Os receptores canabinoides são classificados em CB1 e CB2.


Os receptores CB1 estão localizados principalmente no sistema nervoso central e periférico. Eles influenciam na ação de neurotransmissores essenciais para a saúde mental, como GABA, glutamato, noradrenalina, serotonina e dopamina.


Sua ação pode influenciar na cognição, nas habilidades motoras, na saciedade, no sono, saúde cerebral e regulação hormonal.


Os receptores CB2 são encontrados principalmente no sistema imunológico, sistema nervoso central e no tecido hematopoiético. Sua incidência é maior na presença de dor crônica, em resposta à neuroinflamação e à hipóxia cerebral.


Os fitocanabinoides, como o CBD, são capazes de se conectar a esses receptores canabinoides, contribuindo para o tratamento dessas condições.


Para que o canabidiol é indicado?

Os estudos são constantes e muito promissores. Já há evidências científicas de que o CBD pode ser usado para o tratamento de transtornos mentais, de dores e de inflamação.


São indicações de uso:

  • Doenças neurológicas graves

  • Dores leves e crônicas

  • Esclerose múltipla e fibromialgia

  • Enxaqueca

  • Autismo

  • Epilepsia

  • Insônia

  • Dores oncológicas

  • Ansiedade

  • Síndrome de Burnout

  • Depressão

  • Dependência química

  • Inflamação por atividade física


Já existem também cosméticos produzidos à base de CBD.


Como tomar canabidiol (CBD)?

O CBD é administrado via oral, por meio de óleo, cápsulas, spray e creme tópico. O metabolismo é feito pelo fígado e pelo intestino.


A prescrição deve ser feita pelo médico. Produtos produzidos no Brasil podem ser comprados em farmácias, desde 2019. Se o medicamento for importado, é necessário pedir autorização de importação no site da Anvisa.


Em outubro (2022) o CFM publicou resolução que restringia o uso do CBD, mas a revogou poucos dias depois. Isso porque várias entidades médicas se manifestaram, apontando a comprovação científica dos benefícios em vários tratamentos, inclusive, endossados pelo SUS.


Além de revogar a resolução, o CFM abriu uma consulta pública para ouvir a população.

Já prescrevo o canabidiol (CBD) no consultório, e tenho tido importantes resultados com meus pacientes.


Se você quiser saber mais sobre as indicações, me mande uma mensagem!


Até a próxima!


Dra. Thaísa Bramusse


Comments


bottom of page